BRC Edição 8 – Quais são as principais mudanças?

BRC Edição 8 – Quais são as Principais Mudanças?

O Padrão Global BRC para Segurança de Alimentos é reconhecido em todo o mundo como a base para a segurança dos alimentos e a gestão de qualidade. Conheça as principais mudanças nos requisitos que você deverá cumprir:

Compromisso da Administração Sênior da Empresa:

Introdução – Esta seção foi expandida para garantir que todos os locais de produção desenvolvam e implementem programas robustos de monitoramento. Isso tem como objetivo permitir que os fabricantes executem uma ação corretiva em tempo real para evitar a contaminação dos produtos.

Detalhes -

  • A administração sênior da empresa deve definir e manter um plano claro para aprimoramento contínuo da segurança dos alimentos e do controle de qualidade. Ele deve incluir:
    • Todas as seções de um local que têm impacto sobre a segurança do produto;
    • Um plano de ação que detalha como as atividades serão realizadas e medidas, com os prazos previstos;
    • Uma análise da eficácia de todas as atividades, incluindo sistemas HACCP, proteção de alimentos e autenticidade.
  • Reuniões no local sobre segurança de alimentos, legalidade, integridade e problemas de qualidade devem ocorrer ao menos uma vez ao mês, com as conclusões sendo reportadas para a gestâo sênior.
  • Estabeleça um sistema e processo de relatórios confidenciais para permitir que toda a equipe possa expor suas preocupações com segurança de alimentos, legalidade, integridade e qualidade. 

Plano HACCP/Segurança de Alimentos:

Visão Geral – A terminologia está agora alinhada com o Codex Alimentarius.

Detalhes -

  • O plano HACCP para a segurança de alimentos deve cobrir todos os tipos de riscos, por exemplo, microbiológico, contaminação física, etc.
  • Os documentos e registros eletrônicos devem ser bem armazenados e deve ser efetuado um backup.
  • O programa deve incluir ao menos quatro datas de auditoria diferentes ao longo do ano. As auditorias incluirão:
    • Plano de segurança de alimentos ou HACCP com atividades de implementação.
    • Programas de pré-requisitos; por exemplo, higiene, controle de pragas.
    • Procedimentos de proteção de alimentos e planos de prevenção de fraudes.
    • Procedimentos para cumprir o Padrão Global BRC.
  • O plano de avaliação de riscos das matérias-primas deve ser atualizado se houver alguma alteração no material, no procedimento de processamento ou no fornecedor; se for inserido um novo risco, após uma retirada de produto do mercado devido a erro ou a cada três anos no máximo.
  • Análises de desempenho do fornecedor devem ser documentadas.
  • A administração, a aprovação e o monitoramento de processamento terceirizado estão agora incluídos no Padrão para garantir que a segurança não seja comprometida.
  • As instalações devem seguir um procedimento para completar uma análise da causa-raiz para implementar aprimoramentos e evitar a reocorrência de não conformidades, ou seja, onde a segurança do produto está em risco.
  • Todas as instalações devem ter um procedimento de rastreabilidade documentado. No mínimo, isso deve incluir: como o sistema de rastreabilidade trabalha e a rotulagem e os registros necessários. 

Segurança de Produtos e Proteção de Alimentos:

Introdução – Aumentou a necessidade de evitar contaminação intencional. Dessa forma, a Edição 8 revisou consideravelmente os requisitos para avaliação de risco.  

Detalhes -

  • Os sistemas devem proteger matérias-primas, produtos, instalações e a reputação da marca contra ações prejudiciais dolosas.
  • A empresa será responsável por uma avaliação documentada de riscos e ameaças internas e externas. Isso se torna a base de um plano de avaliação de ameaças que precisa ser regularmente revisado para se adaptar a circunstâncias em modificação.
  • Em áreas de risco físico, por exemplo, áreas de armazenamento externo, é necessário ter um acesso seguro e controlado por pessoal autorizado. Um sistema de gravação de visitantes deve ser implementado. Além disso, a equipe deve ser treinada nos procedimentos de segurança do local e em proteção de alimentos.
  • Passarelas elevadas próximas de linhas de produção devem ser projetadas para evitar a contaminação do produto.
  • Todos os equipamentos da produção devem ser inspecionados por um funcionário autorizado que confirmará a eliminação de todos os riscos de contaminação.

Equipamento de Inspeção de Produtos:

Introdução – A Edição 8 inclui informações mais detalhadas sobre a operação de detecção de corpos estranhos, Controladores de Peso e equipamentos de rotulagem.   

Detalhes -

  • Todas as instalações devem estabelecer e implementar ações corretivas e procedimentos de relatório em caso de detecção de contaminantes e/ou falha no sistema de verificação online. A ação deve incluir reinspeção de todos os produtos desde o último teste de inspeção bem-sucedido.
  • O teste de Detectores de Metais in line deve ser concluído na inicialização das linhas e no final da produção.
  • As alterações nas configurações dos equipamentos que afetarem a integridade e a segurança do produto devem ser concluídas apenas por pessoal devidamente treinado e autorizado. Além disso, os controles devem ser protegidos por senha ou restringidos de algum outra forma. 
  • Há um novo requisito para os Controladores de Peso serem gerenciados de acordo com requisitos legais. Isso inclui testar a eficácia operacional e gravar os resultados dos testes. 

Rotulagem de Produtos:

Introdução – Um elevado número de recalls de produtos é gerado dos erros de etiquetagem. A análise de produtos rotulados de forma incorreta mostra que os principais problemas são erros cometidos nas informações da etiqueta original, alterações em ingredientes/fornecedores ou erros do processo de embalagem.

Detalhes -

  • Garantindo informações precisas e atualizadas para um ‘controle de mudanças' eficaz no recebimento de mercadorias. Isso significa que apenas a versão correta dos materiais é aceita no local.
  • Como destacado na seção Equipamento de Inspeção de Produtos acima, o controle da impressão no local, por exemplo, de códigos de dados, é conduzido por pessoal autorizado.
  • Equipamentos de verificação online, por exemplo, scanners de código de barras, terão que ser configurados e testados. No mínimo, o teste deve ser executado no início e no fim de um ciclo de produção.
  • Durante a auditoria vertical, o auditor confirmará a precisão dos rótulos e o processo de rotulagem.
  • As instruções de uso para os clientes devem ser validadas para assegurar que o produto seja seguro para consumo.
  • Estabeleça um plano documentado para avaliação de risco de vulnerabilidade, que seja constantemente atualizado, com o objetivo de refletir todas as alterações no risco de matéria-prima.
  • Novo requisito para criar um procedimento para gerenciar embalagem obsoleta, incluindo rótulos. Isso inclui o descarte correto da embalagem para impedir o reuso.
  • Verificar as informações impressas agora inclui verificar informações de alérgenos.
  • Para garantir a rotulagem correta de produtos, todas as equipes relevantes devem ter recebido treinamento nos processos de rotulagem e embalagem. 

Além das mudanças citadas acima, agora existem novos requisitos para analisar os resultados dos testes de laboratório e detalhes adicionais para evitar contaminação do produto por patógenos. Também foram realizadas correções em áreas, como ambiente físico, por exemplo, protegendo as janelas de vidro contra quebra, sistemas de limpeza, monitoramento de ambiente baseado em risco e gestão de pragas para garantir que a segurança de produtos seja continuamente mantida. 


Thank you for visiting www.mt.com. We have tried to optimize your experience while on the site, but we noticed that you are using an older version of a web browser. We would like to let you know that some features on the site may not be available or may not work as nicely as they would on a newer browser version. If you would like to take full advantage of the site, please update your web browser to help improve your experience while browsing www.mt.com.