MasterClass sobre Segurança de Alimentos: Webinar sob Demanda
Webinar Sob Demanda

MasterClass sobre Segurança de Alimentos: Webinar sob Demanda

Webinar Sob Demanda

Faça o download deste webinar gratuito sob demanda sobre como evitar contaminação física em 6 passos

A MasterClass sobre Segurança de Alimentos é um webinar sob demanda que fornece um guia passo a passo sobre como evitar a contaminação física de produtos alimentícios. Ele discute as causas de recalls de produtos, a importância da contaminação zero e como atingir a segurança de alimentos em 6 passos. Os ouvintes também podem aprender mais sobre as quatro tendências principais em inspeção de segurança de alimentos.

Originariamente hospedado pela publicação do Reino Unido, a New Food, o público sob demanda pode ter acesso a conhecimento adicional sobre o setor assistindo à sessão gravada de Perguntas e Respostas.     

Público-Alvo:

  • Proprietários de Marcas
  • Fabricantes de Alimentos
  • Processadores de Alimentos
  • Gerentes de Produção
  • Profissionais de Garantia de Qualidade / Controle de Qualidade
  • Gerentes de Engenharia
Robert Rogers
35 Minutos
English

O webinar de MasterClass de Segurança de Alimentos foi realizado em 3de outubro e apresentado por Robert Rogers, Consultor Sênior de Segurança e Regulamentação de Alimentos na Divisão de Inspeção de Produtos da Mettler-Toledo. Adquira mais conhecimento sobre o setor com Robert enquanto ele responde às perguntas após o webinar ao vivo.

Como posso impedir que produtos rejeitados entrem novamente em produção?

Atualmente, novos padrões e regulamentações estabelecem que um produto fora de conformidade deve ser desviado para uma área segura, acessível apenas para pessoal autorizado. Isso significa que um produto fora de conformidade deve ser rejeitado fisicamente em um recipiente seguro que só possa ser acessado por pessoas devidamente treinadas para resinpecioná-lo, corrigir os seus defeitos ou descartá-lo. 

Pela sua experiência, quais são os materiais de embalagem mais difíceis de inspecionar?

Detectores de Metais trabalham com base em um princípio segundo o qual materiais condutores têm um efeito no resultado. Passar uma embalagem que contenha material condutor, como uma torta em uma bandeja de alumínio, uma película altamente metalizada ou embalagem em folha de alumínio, pode representar um desafio para as aplicações de Detecção de Metal. A Inspeção por Raios X não é afetada pela natureza condutora da embalagem, o que significa que o material da embalagem não prejudica os resultados da Inspeção por Raios X.

São inúmeros os pontos que devem ser considerados ao selecionar a solução de Inspeção de Produtos ideal para cada aplicação/produto alimentício. Eu recomendaria realizar um teste de produto para determinar a melhor solução.

Você consegue explicar a diferença entre HACCP, HARPC e VACCP/TACCP?

HACCP significa Pontos Críticos de Análise de Riscos e HARPC significa Controles Preventivos Baseados na Análise de Riscos. 

HARPC é específico da Lei de Modernização de Segurança dos Alimentos que foi implementada nos Estados Unidos. Esses programas avaliam uma adulteração unilateral. 

VACCP significa Ponto Crítico de Controle para Avaliação de Vulnerabilidade, já TACCP significa Ponto Crítico de Controle de Avaliação de Ameaças. Eles estão alinhados com os requisitos para evitar adulteração intencional no FSMA. Para isso, é preciso avaliar a vulnerabilidade de uma instalação e identificar formas de controlá-la e também calcular a ameaça de uma potencial adulteração intencional. 

A Inspeção por Raios X tem algum efeito no produto? Existe algum risco à saúde?

Quando as pessoas houvem falar em Raios X, elas logo pensam em radiação e ficam com medo. Certamente, um aparelho de Raios X é capaz de produzir radiação. Ele produz Raios X através de um tubo eletrônico, ao contrário de uma fonte radioativa, portanto, não há fonte radioativa dentro dela. Nós produzimos Raios X de uma maneira muito segura, através de um sistema eletrônico de tubulações. Quando a energia é aplicada, nós geramos Raios X; assim que a energia é desconectada, não ha Raios X residuais e nenhuma radiação remanescente é produzida.

Como os sistemas de Raios X são aparelhos geradores de radiação, o design e a operação desses sistemas estão sujeitos a regulamentações para garantir uma operação segura. Nos Estados Unidos e em outros países e regiões existem diretrizes federais que podem apresentar pequenas diferenças. Os Sistemas de Inspeção por Raios X são agora comuns em instalações de manufatura e devem todos estar em conformidade com a regulamentação de segurança do local onde estão instalados.

Durante a Inspeção dos Produtos, a quantidade de Raios X é baixa, as energias dos Raios X individuais são relativamente baixas e o período de inspeção é breve. Em geral, os produtos que passam por uma Inspeção por Raios X são expostos a Raios X de baixa intensidade por menos de 0,2 segundos. As dosagens de radiação ambiente recebidas pelo produto nas prateleiras, em trânsito ou durante o tempo em que permanecem com os consumidores são bem maiores do que os níveis aplicados por um Sistem de Inspeção por Raios X no final da linha de produção. O FDA (Food and Drugs Administration) dos Estados Unidos estima que a dosagem recebida por um objeto que passe por um sistema de Inspeção por Raios X seja inferior à dosagem de radiação ambiente recebida durante um dia normal. Principalmente, o FDA afirma que não há riscos conhecidos ao consumo de produtos que foram inspecionados por Raios X.

Temos uma fábrica de milho e trabalhamos apenas com Detectores de Metais. A Inspeção por Raios X seria mais apropriada para o nosso processo? Ou, para melhor prevenir os riscos, é necessário instalar Detectores de Metais em cada estágio do nosso processo?

Quanto ao tipo de inspeção, as vantagens do acréscimo da Inspeção por Raios X no processo dependeriam da existência de riscos ou riscos em potencial não identificados pelos Detectores de Metais, mas que a Inspeção por Raios X seria capaz de identificar. Em geral, na fábrica, dependendo de em que ponto do processo o milho in natura é introduzidos, um sistema de Inspeção por Raios X em material a granel poderia procurar detritos do campo, ou seja, plásticos duros, pedras ou vidro provenientes do campo diretamente.

No que se refere a inspeções ao longo de todo o processo de produção, eu recomendaria identificar os contaminates físicos o mais cedo possível antes que mais valor seja agregado ao produto.

Quando o processo de produção inicia, você já está agregando valor. À medida que ele passa por cada estágio do processo, você está certamente adicionando mais tempo, mais homens-hora, mais recursos e mais ingredientes. Ao inspecionar o produto no início do processo, é possível reduzir desperdícios, melhorar as eficiências e até mesmo proteger alguns dos equipamentos de processamento. O cenário ideal é ter um tipo de Sistema de Inspeção de Produtos em todos os estágios do processo de produção: o início, na linha e no fim da linha. Isso garantiria a segurança e qualidade de produtos especiais e também reduziria os custos de produção e desperdícios de produto, além de melhorar as eficiências.

Se simplesmente fizer uma inspeção no final do processo e encontrar algum problema, você terá que:

  1. Investigar toda a cadeia de valores para descobrir onde ocorreu o problema, identificar a causa-raiz e
  2. Você já agregou valor, tempo, energia e recursos na produção desse produto e acabou encontrando um problema. Quando isso ocorre, todo esse esforço, embalagem e energia são desperdiçados no recipiente de rejeição e no descarte desse produto. Isso pode aumentar o desperdício e diminuir as eficiências.

Existem alguns fatores chaves a serem considerados ao tentar determinar a localização ideal para dispositivos de inspeção ou múltiplas inspeções através de todo o processo.

Como superar falsas rejeições de produtos não contaminados?

A melhor forma de configurar sistemas, seja Detecção de Sistemas ou Inspeção por Raios X, é inspecionar bem a produção. Isso é fundamental para minimizar a probabilidade de falsas rejeições. Falsas rejeições são o pior inimigo já que um produto bom e vendável acaba indo parar na recipiente de rejeição. Esses produtos serão descartados como lixo ou será necessário dedicar mais tempo e esforço para verificar novamente o produto, que nem deveria ter sido rejeitado.

Em alguns casos, podem ocorrer falsas rejeições, mas os sistemas e software avançados de Detecção de Metais e Inspeção por Raios X e suas configurações de produtos totalmente automatizadas ajudam a eliminar as falsas rejeições.

Que entidades aprovaram o uso de Raios X na indústria de alimentos?

O uso de Sistemas de Raios X em alimentos e bebidas é muito comum. Muitos códigos de práticas do varejo agora exigem que a Inspeção por Raios X seja incluída em programas de prevenção de material estranho. Isso tem como objetivo identificar e detectar a contaminação não condutora que possa ser difícil de identificar com Detectores de Metais padrão.  Na verdade, muitos acreditam que as duas tecnologias são necessárias para fornecer uma maior proteção contra alimentos fora de conformidade que entrem no mercado.

Existem regulamentações específicas sobre Sistemas de Inspeção por Raios X e radiação. Elea podem ser diferentes em vários países em todo o mundo. Em geral, nossos Sistemas de Inspeção por Raios X excederam bastante os padrões globalmente mais rigorosos e são totalmente seguros de usar. 

Que tecnologia (Detecção de Metais ou Inspeção por Raios X) é melhor em termos de custos ao longo do ciclo de vida?

Sei que há Sistemas de Detecção de Metais que têm mais de 20 anos e ainda estão em operação na produção hoje com o mesmo desempenho de quando foram instalados. Nós também temos Sistemas de Raios X que foram instalados há mais de 12 anos. Se você oferecer suporte e manutenção ao seu equipamento de Inspeção de Produtos ao longo de toda a sua vida útil, desde a instalação até a manutenção preventiva e da verificação do desempenho até o reparo do equipamento, isso certamente contribuirá para prolongar a durabilidade do sistema.  

Para colocar um novo produto no mercado americano, há algum equivalmente ao Princípio de Prevenção Europeu?

Todos os produtos fabricados ou vendidos nos EUA precisam atender aos requisitos mínimos se regulamentados pelo Food and Drug Administration (FDA) ou pelo US Department of Agriculture (USDA). Também pode haver requisitos específicos que uma determinada instalação, varejista e/ou marca precisam cumprir. No mínimo, devem ser aplicados os princípios de Boas Práticas de Manufatura (GMP) e Pontos Críticos de Controle de Análise de Risco (HACCP).

A digitalização elimina a necessidade de verificações online? Qual é a melhor forma de rever essas práticas na nossa instalação já que não temos experiência nessa área?

Os fabricantes de alimentos estão cada vez mais buscando utilizar mais sistemas inteligentes para aumentar a automação e a rastreabilidade das suas plantas. A Manufatura Conectada nas infraestruturas em rede pode melhorar as eficiências da linha de produção e o controle da gestão. No entanto, é sempre recomendável testar o sistema ao menos antes de operá-lo e no fim do turno de produção para assegurar uma operação adequada.

Eu tenho um Detector de Metais que algumas vezes gera falsos positivos. O que você recomendaria?

É fundamental certificar-se de que ele esteja devidamente instalado e estável. Ele deve ser configurado para níveis máximos de sensibilidade sem nenhum produto. Se ele não estiver estável, eu sugeriria uma visita de manutenção. Se ele estiver estável, você deve ajustar os níveis de sensibilidade para inspecionar com sucesso o produto, sem falsas rejeições e, em seguida, testar o sistema para determinar a capacidade de detecção.

Com o grande esforço de digitalização, não é de se esperar que isso abra a porta para novos métodos de adulteração e extorção de uma perspectiva cibernética?

Mesmo com a adoção de soluções do tipo Blockchain e registros distribuídos, a maioria desses sistemas terá restrições de controle de acesso. No entanto, será importante aprimorar continuamente a segurança física e cibernética.

O que você recomendaria para inspecionar quanto à presença de espinhas de peixe? Fomos informados pelo nosso fornecedor de equipamento de Raios X que eles não são densos o suficiente para serem detectados.

É possível conduzir testes de produtos para determinar as capacidades de detecção com base na aplicação específica. Entre em contato com nosso escritório local para mais informações sobre o teste de produtos.

Conteúdo Relacionado

 
 
 
 
 
 
 
Thank you for visiting www.mt.com. We have tried to optimize your experience while on the site, but we noticed that you are using an older version of a web browser. We would like to let you know that some features on the site may not be available or may not work as nicely as they would on a newer browser version. If you would like to take full advantage of the site, please update your web browser to help improve your experience while browsing www.mt.com.