Definição de titulação e muito mais
 
Menu
Conhecimento
Guia

Fundamentos da Titulação - uma técnica analítica quantitativa amplamente utilizada

Conhecimento
Guia

A titulação é uma técnica analítica que permite a determinação quantitativa de uma substância específica dissolvida em uma amostra. Com este manual você aprenderá mais do que apenas a definição de titulação.

Este manual tem como propósito uma introdução à teoria e à prática de titulação.
Este manual tem como propósito uma introdução à teoria e à prática de titulação.

Este manual se concentra em fornecer uma introdução clara sobre titulação.

Oferece o conhecimento básico necessário para entender a titulação, ilustra diferentes tipos de titulação e explica os princípios de análise. Dedica-se atenção especial ao fornecimento de todas as informações necessárias para realizar a titulação corretamente para produzir dados confiáveis. E por fim, é explicada uma breve introdução à química referente à titulação.

Este manual abrange os seguintes tópicos e muito mais:

  • Definição de titulação
  • Teoria da titulação
  • Tituladores automatizados
  • Gestão de qualidade na titulação
  • Determinação de título
  • Fundamentos de química (mol, estequiometria da reação, etc.)
  • Glossário (titulação, fator, titulante, indicação, analito, etc.)
Faça o download do manual para saber tudo sobre os fundamentos da titulação. Você encontrará informações básicas valiosas sobre esta técnica amplamente utilizada.

1. Definição de titulação

A titulação é uma técnica analítica que permite a determinação quantitativa de uma substância específica (analito) dissolvida em uma amostra. É baseada em uma reação química completa entre o analito e o reagente (titulante) de concentração conhecida que é adicionado à amostra. Um exemplo conhecido é a titulação de ácido acético (CH3COOH) no vinagre com hidróxido de sódio, NaOH:

CH3COOH + NaOH → CH3COO- + Na+ + H2O

Analito        Reagente        Produtos da Reação

 

O titulante é adicionado até que a reação esteja concluída. Para que seja adequado para uma determinação, o fim da reação de titulação deve ser facilmente observável. Isso significa que a reação deve ser monitorada (indicada) por técnicas apropriadas, como potenciometria (medição de potencial com um sensor) ou com indicadores de cor.
A medição do volume de titulante dispensado permite o cálculo do teor do analito com base na estequiometria da reação química. A reação envolvida em uma titulação deve ser rápida, completa, inequívoca e observável.

 

... Saiba mais no Manual de Fundamentos da Titulação

2. Desenvolvimento histórico

A forma clássica

Titulação é uma técnica analítica clássica amplamente utilizada. Originalmente, ela era realizada pela adição do titulante usando um cilindro de vidro graduado (bureta). Com um toque, a adição do titulante era regulada manualmente. Uma alteração nas cores indicava o final da reação de titulação (ponto final). No início, apenas as titulações que mostravam uma mudança de cor significativa ao alcançar o ponto final eram realizadas. Depois, as titulações foram coloridas artificialmente com um corante indicador. A precisão alcançada dependia principalmente das habilidades do químico e, principalmente, de sua habilidade de perceber cores diferentes.

A forma moderna

A titulação sofreu um forte desenvolvimento: buretas manuais e – posteriormente – de pistão acionadas por motor permitem adição de titulante precisa e repetível. Sensores potenciométricos substituem os indicadores de cor, permitindo, assim, a obtenção de maior precisão dos resultados. Uma representação gráfica de volume potencial versus volume do titulante e avaliação matemática da curva de titulação resultante fornecem uma afirmação mais exata sobre a reação do que a mudança de cor no ponto final. Com microprocessadores, a titulação pode ser controlada e avaliada automaticamente. Isso representa um passo importante para uma completa automação.

... Saiba mais no Manual de Fundamentos da Titulação

3. Teoria da titulação

3,1. Tipos de reações químicas

Existem vários tipos diferentes de reações químicas que mostram as mudanças que podem ser detectadas e assim utilizadas para análises por titulação. Estas categorias são fornecidas abaixo com um exemplo de reação e algumas aplicações típicas também:

Reações ácido/base:

HCl + NaOH → NaCl + H2O

Exemplos: Teor de ácido em vinhos, leite, teor de HCl em ketchup, HNO3, H2SO4.

 

... Saiba mais no Manual de Fundamentos da Titulação

 

3,2. Adição de titulante
3,3. Princípios de indicação
3.4. Titulações por ponto final - Titulação por ponto de equivalência
3.5. Campos de uso
3.6. Vantagens da titulação

4. Tituladores automatizados

4.1. Definição

Um titulador é um instrumento que permite a automação de todas as operações envolvidas na titulação: adição de titulante, monitoramento da reação (aquisição de sinal), reconhecimento do ponto final, armazenamento de dados, armazenamento de cálculo e resultados.

4.2. Princípio de funcionamento de tituladores automatizados

Os tituladores automatizados seguem uma determinada sequência de operações. Essa sequência é basicamente a mesma para todos os modelos e marcas diferentes. Ela é realizada e repetida várias vezes até que o ponto final ou o ponto de equivalência da reação da titulação reação seja atingido (ciclo de titulação).

 

... Saiba mais no Manual de Fundamentos da Titulação

 

4,3. Adição de titulante
4,4. Aquisição do valor medido
4.5. Princípios de avaliação

 

5. Como alcançar os melhores resultados de titulação

O objetivo principal de qualquer análise é obter resultados rápidos e precisos no menor tempo possível. Muitas vezes, a negligência de algum detalhe pode ter um enorme impacto sobre a qualidade e confiabilidade do resultado final. Este capítulo discute alguns dos fatores críticos que afetam os resultados de titulação e apresenta ideias sobre como eliminar alguns dos erros mais comuns.

Gestão de qualidade na titulação

A Gestão da qualidade tornou-se um tópico relevante para o usuário de instrumentos analíticos. Ela é baseada principalmente na documentação das especificações técnicas comprovadas, nas medições e nos métodos analíticos utilizados. A documentação representa os conceitos básicos de cada sistema de gestão da qualidade e é solicitada por auditores durante as verificações periódicas.

Gestão da qualidade: por quê?

  • O cliente requer resultados corretos com relação, por exemplo, à precisão e reprodutibilidade.
  • As empresas farmacêuticas e organizações governamentais (p. ex., FDA, EPA) exigem rastreabilidade dos resultados e, assim, qualificação dos instrumentos.

Ambos podem ser alcançados por uma documentação completa dos resultados, conformidade com especificações técnicas e verificações de método. O procedimento de documentação do trabalho analítico no laboratório é regulado pelo Sistema de GQ aplicado (por ex., BPL), a comprovação das especificações técnicas é retomada no procedimento de certificação e métodos analíticos específicos devem ser testados para obter resultados corretos, ou seja, os métodos devem ser validados. Por último, mas não menos importante, o instrumento deve receber manutenção durante toda a vida útil para garantir a continuidade de resultados corretos. Essas áreas individuais incluem o seguinte:

GLP (Boas Práticas Laboratoriais):

Qualidade de planejamento, desempenho, controle e relatório de trabalho no laboratório

Certificação:

Qualidade do instrumento e dos valores medidos obtidos por este instrumento

Validação:

Qualidade do método analítico e, assim, dos resultados alcançados

Qualificação:

Controle de qualidade durante toda a vida útil do instrumento

 

... Saiba mais no Manual de Fundamentos da Titulação

 

5,1. Precisão, exatidão e validade
5.2. Tipos de erros
5.3. O melhor método para o trabalho
5.4. Manuseio de reagente
5.5. Manuseio do sensor e manutenção
5.6. Os efeitos da temperatura nos resultados
5.7. Cuidados e manutenção do instrumento
5.8. Manuseio de amostras
5.9. Resumo

6. Fundamentos da química

Nos capítulos a seguir, apresenta-se uma breve introdução aos parâmetros químicos que são relevantes para a análise de titulação. Mais informações sobre reações químicas podem ser encontradas em "Fundamentos da Titulação" (ME-704153A).

6,1. O mol

Em cálculos de química, unidades específicas são usadas para descrever uma reação. Isso é necessário, pois o número de átomos, moléculas ou íons em 1 g de amostra pode ser aprox. 1020. Isso significa que 1 átomo pesa aproximadamente 10-20 g, uma quantidade com 20 dígitos decimais, ou seja, um número no vigésimo dígito após a vírgula! Assim, os cálculos de química precisam de unidades mais convenientes para calcular a quantidade de reagente e de produto envolvidos em uma reação.

A base dos cálculos químicos está associada com a quantidade de base "quantidade de substância" e sua base "mol" do Sistema Internacional de Unidades (SI). Esses conceitos são definidos pela IUPAC (União Internacional de Química Pura e Aplicada) como órgão dirigente.

 

... Saiba mais no Manual de Fundamentos da Titulação

 

6,2. Estequiometria da reação
6.3. Concentração de um titulante
6.4. Química na titulação
6.5. O produto iônico da água
6.6. A força dos ácidos e das bases
6.7. Ácidos e bases em solventes não aquosos

7. Glossário

Titulação, titulante, padrão primário, indicação, fim da titulação, ponto de equivalência, analito, padronização, estequiometria

 

... Saiba mais no Manual de Fundamentos da Titulação

Thank you for visiting www.mt.com. We have tried to optimize your experience while on the site, but we noticed that you are using an older version of a web browser. We would like to let you know that some features on the site may not be available or may not work as nicely as they would on a newer browser version. If you would like to take full advantage of the site, please update your web browser to help improve your experience while browsing www.mt.com.