Como Medir o pH em Amostras Pequenas
 
Menu
Conhecimento
Método de Aplicação
Dicas e Truques

Como Medir o pH em Amostras Pequenas

Conhecimento
Método de Aplicação
Dicas e Truques

Descubra os benefícios de usar sensores especializados para medir o pH de amostras pequenas

Medir o pH em amostras de pequeno volume muitas vezes é necessário na investigação em ciências da vida. No entanto, amostras de pequeno volume normalmente significam experimentos caros e a manipulação de amostras pode introduzir erros nos resultados do pH.  

Com o microssensor de pH certo, é possível minimizar a manipulação das amostras, mesmo para amostras de baixo volume, e obter resultados precisos de medição do pH. A METTLER TOLEDO oferece os microssensores de pH InLab Nano, InLab Ultra-Micro-ISM e InLab Micro Pro-ISM, bem como o InLab Surface Pro-ISM para medições de gotículas ou superfícies planas.

Para descobrir as vantagens destes sensores especializados na medição do pH de amostras pequenas, faça o download gratuito de uma nota de aplicação.

 

 

Abaixo, exploramos os desafios que podem resultar ao medir o pH de amostras pequenas e oferecemos diretrizes para os procedimentos de medição e seleção de sensores.

Como posso medir o pH de amostras pequenas?

As amostras de volume limitado muitas vezes são mantidas em recipientes pequenos demais para a ponteira do eletrodo, exigindo um sensor com membrana sensora e junção devidamente dimensionado e posicionado. Normalmente, um sensor semimicro desloca solução suficiente em um recipiente estreito para cobrir a membrana sensora e a junção de referência para uma medição precisa. No entanto, volumes de amostras de poucos microlitros requerem microssensores especializados com uma membrana muito pequena e uma junção baixa.

Como posso medir o pH de superfícies planas?

Algumas amostras são muito pequenas, mesmo para um microssensor medir com precisão. Nesses casos, um sensor de superfície é a configuração ideal.

Os sensores de pH de superfície evitam a contaminação das amostras

O contato direto do sensor de pH com a amostra durante a medição pode ser uma fonte crítica de contaminação. O eletrólito de referência pode fluir para a amostra; além disso, existe o risco de transferência da solução de enxágue e pode haver resíduos no sensor. A pipetagem de, pelo menos, 10 μL da amostra em uma superfície plana e limpa e a medição com um sensor de membrana plana podem evitar tais problemas.

 

Meça a amostra, não o sensor, a temperatura

O pH é um valor que depende da temperatura e a temperatura do sensor pode ser interpretada erroneamente como a de uma amostra quando o volume da amostra for limitado. Sempre que possível, o sensor e a amostra devem ser armazenados juntos para evitar diferenças de temperatura. Não é necessário nenhum sensor de temperatura para amostras com temperatura conhecida; neste caso, a temperatura pode ser inserida manualmente durante a medição.

A medição precisa do pH em amostras pequenas depende da seleção cuidadosa do sensor e da escolha de técnicas de medição. Essas diretrizes podem ajudá-lo a superar com êxito os desafios das medições de pequenos volumes e a obter resultados precisos e repetíveis.

 

Faça o download de uma Nota de Aplicação para saber mais sobre a medição de pH em amostras pequenas:

Thank you for visiting www.mt.com. We have tried to optimize your experience while on the site, but we noticed that you are using an older version of a web browser. We would like to let you know that some features on the site may not be available or may not work as nicely as they would on a newer browser version. If you would like to take full advantage of the site, please update your web browser to help improve your experience while browsing www.mt.com.